Ser discípulo é ser «caridoso, persistente e informado»
18/02/2017
Bispo pede a peregrinos que nunca desistam de agir com zelo missionário, a exemplo do que fez o beato José Allamano, fundador dos Missionários e Missionárias da Consolata

Caridade, conhecimento e persistência. Estas são as características principais de um bom discípulo, de quem quer seguir e ser testemunho da palavra de Deus, e sintetizam a mensagem deixada este sábado, 18 de fevereiro, pelo bispo de Pinheiro, Maranhão, Brasil, Elio Rama, na homilia da Missa de encerramento da 27ª Peregrinação da Família Missionária da Consolata a Fátima.

Partindo do exemplo do beato José Allamano, o prelado apelou aos milhares de peregrinos que se concentraram na Basílica da Santíssima Trindade para que nunca desistam de «agir com zelo missionário». «Zelo pela caridade – pois jamais será missionário quem não vive deste fogo divino; zelo pela ciência (o missionário ignorante é uma lâmpada apagada); zelo pela persistência – o apóstolo precisa de paciência e não desanima por causa dos poucos resultados».

«Queridos irmãos e irmãs, mais uma vez aqui estamos para fortalecer a nossa fé, a nossa esperança, o nosso amor. Aqui estamos junto com Maria para assumirmos a missão que o Senhor nos confia. Unidos, levemos ao mundo o Evangelho de Jesus, que é caminho, verdade e vida», afirmou Elio Rama, recordando que «são muitos os pobres e oprimidos» a necessitar «de um sorriso, de uma presença, de uma ajuda».

O bispo recordou ainda o facto da imagem de Nossa Senhora da Aparecida, padroeira do Brasil, ter sido entronizada (em 2015) à entrada sul do Santuário de Fátima, para revelar que esteve em oração junto da escultura, pedindo por todo o povo brasileiro, sobretudo pelos que mais sofrem, como são os agricultores e os povos indígenas.

Na Eucaristia, e partindo do tema escolhido para esta peregrinação - «O Senhor fez em mim maravilhas» - um grupo de crianças encenou uma dramatização, para enaltecer a ação dos missionários e das missionários nos quatro quantos do mundo. «Levaram a alegria, os sorrisos, a esperança, o amor de Deus, os cuidados médicos, a educação, cura aos doentes, comida aos que têm fome, consolação, solidariedade, paz, fé e partilha. Levaram o amor de Cristo e Deus fez maravilhas neles», explicava o texto que serviu de suporte à encenação.

Após a Missa, os peregrinos seguiram em procissão até à Capelinha das Aparições, onde participaram na despedida a Nossa Senhora de Fátima, um momento marcado pela emoção, bem visível nos rostos fechados e nos olhos marejados de lágrimas com que muitos dos peregrinos abandonaram o recinto de oração do santuário.

in www.fatimamissionaria.pt