Mártires da Argélia, padroeiros da Consolata para 2020
10/01/2020
As direções gerais do Missionários e das Missionárias da Consolata decidiram confiar estes dois institutos missionários ad gentes à proteção dos Mártires da Argélia para o ano 2020

O bispo Pierre Claverie e seus 18 companheiros, incluindo os sete monges cistercienses de Tibhirine, foram beatificados em 8 de dezembro de 2018 na Basílica de Santa Cruz, em Oran.
A Causa da Beatificação foi aberta em 2006 em Argel. 21 anos após o assassinato, seis religiosas e onze monges, incluindo os 7 cistercienses de Tibhirine, tiveram o seu martírio reconhecido.
 
Década sombria para a Argélia
Os monges de Tibhirine foram sequestrados em março de 1996 no seu mosteiro de Nossa Senhora do Atlas, Argélia. Só as suas cabeças é que foram encontradas poucos meses mais tarde.
As seis religiosas, menos conhecidas do grande público, foram martirizadas nesta mesma década, em 1994 e 1995, em Argel.
Dom Pierre Claverie, Bispo de Oran, foi assassinado a 1 de agosto de 1996 com a explosão de uma bomba em frente da casa onde habitava. Tinha 58 anos de idade. Foi um atentado que ocorreu logo após a visita à Argélia do ministro dos Negócios Estrangeiros  francês, Hervé de Charette, que foi ao túmulo dos monges de Tibhirine.
 
"Que o exemplo destes mártires nos ajude na nossa vida de hoje", foram os votos dos bispos da Argélia, assegurando que a sua beatificação será, para a Igreja e para o mundo, um apelo a "construir juntos um mundo de paz e de fraternidade". Um caminho para a Igreja da Argélia e todo o país, para virar esta página sombria da história.
 
Esta beatificação diz respeito a um total de 19 pessoas consagradas, alguns deles bem conhecidos, como o irmão Christian de Chergé ou Dom Pierre Claverie. Os nomes dos outros religiosos e religiosas são menos familiares ao grande público.
Esses mártires que viveram a serviço do povo argelino serão homenageados em nome das milhares de vítimas, principalmente muçulmanas, da guerra civil dos anos 90.
Aqui fica a lista completa desses 19 Beatos, na ordem cronológica de seu assassinato:
 
08 de maio de 1994 em Argel: irmão Henri Vergès, nascido a 15 julho de 1930 em Matemale, religioso marista e professor de francês e irmã Paul-Hélène Saint-Raymond, nascida a 24 de janeiro de 1927 em Paris, religiosa francesa das Pequenas irmãs da Assunção.
 
23 de outubro de 1994 em Bab El Oued: irmã Esther Paniagua Alonso, nascida a 07 de junho de 1949 em Izagre, freira espanhola das Irmãs Agostinianas Missionárias e irmã Caridad Alvarez Martin, nascida a 09 de maio de 1933, em Santa Cruz de la Salceda, freira espanhola das Irmãs Missionárias Agostinianas.
 
Em 27 de dezembro de 1994, em Tizi Ouzou: quatro Padres Brancos, incluindo três cidadãos franceses: padre Jean Chevillard, nascido a 27 agosto de 1925 em Angers; padre Alain Dieulangard, nascido a 21 de maio de 1919 em Saint-Brieuc, e o padre Christian Chessel, nascido a 27 de outubro de 1958 em Digne; e um belga, padre Charles Deckers, nascido a 26 de dezembro de 1924 na Antuérpia.
 
A 03 de setembro de 1995, em Belouizdad: irmã Angèle-Marie Littlejohn, nascida a 22 de novembro de 1933 em Túnis, religiosa francesa das Irmãs Missionárias de Nossa Senhora dos Apóstolos, e a irmã Bibiane Leclercq, nascida a 08 de janeiro de 1930 em Gazeran, religiosa francesa das Irmãs Missionárias de Nossa Senhora dos Apóstolos.
 
A 10 de novembro de 1995, em Argel: irmã Odette Prévost, nascida a 17 de julho de 1932 em Oger, religiosa francesa das Pequenas Irmãs do Sagrado Coração.
 
A 21 de maio de 1996, próximo a Medéia, sete monges de Tibhirine (dois outros irmãos escaparam do sequestro):

Irmão Christian de Chergé: nascido a 18 de janeiro de 1937 em Colmar, padre cisterciense francês, prior da comunidade desde 1984, monge desde 1969, na Argélia desde 1971.
 
Irmão Luc Dochier: nascido a 31 de janeiro de 1914 em Bourg-de-Péage, monge cisterciense francês desde 1941, na Argélia desde agosto de 1946. Médico, viveu cinquenta anos em Tibhirine. Tratou todos de forma gratuita, sem distinção de religião.
 
Irmão Christophe Lebreton: nascido a 11 de outubro de 1950 em Blois, sacerdote cisterciense francês, monge desde 1974, na Argélia desde 1987.
 
Irmão Michel Fleury: nascido a 21 de maio de 1944 em Sainte-Anne-sur-Brivet, monge cisterciense francês desde 1981, na Argélia desde 1985. Membro do Instituto de Prado, era o cozinheiro da comunidade.
 
Irmão Bruno Lemarchand: nascido a 1 de março de 1930 em Saint-Maixent l'École, sacerdote cisterciense francês, monge desde 1981, na Argélia e em Marrocos desde 1989.
 
Irmão Célestin Ringeard: nascido a 27 de março de 1933 em Touvois, sacerdote cisterciense francês, monge desde 1983, na Argélia desde 1987.
 
Irmão Paul Favre-Miville: nascido a 17 de abril de 1939 em Vinzier, religioso cisterciense francês desde 1984, na Argélia desde 1989. Era responsável pelo sistema de irrigação do jardim do mosteiro.
 
No dia 1 de agosto de 1996: Dom Pierre Claverie, nascido a 8 de maio de 1938 em Argel, padre dominicano, bispo de Oran desde 1981.
 
Nota: em 2012 a Consolata Editora publicou o Diário do monge mártir Christophe Lebreton, com prefácio de José Tolentino Mendonça. Útil para ler e meditar durante este ano.