Liturgia da solenidade da Imaculada Conceição
08/12/2018
A flor da nossa humanidade

Gen 3, 9-20; Ef 1, 3-12; Lc 1, 26-38

No caminho do Advento temos Maria como companheira de viagem e modelo de vida cristã. Ela, a cheia de graça, a bendita entre todas as mulheres, a alegria do seu Senhor. Nela e por ela Deus encontra-se com a humanidade para a restaurar segundo o modelo que saiu das suas mãos. Maria é essa criatura nova perante a qual Deus se extasia. Não há nela mancha de pecado. É puro sim ao plano de Deus, imagem do sim que todos devemos pronunciar.

Sim, “cheia de graça” é o seu nome. Cheia de amor de Deus. Onde há plenitude de amor não há lugar para o pecado. Revela-se em Maria a harmonia com Deus e com os outros, expressa em amor e serviço. Na Virgem Imaculada lavamos o nosso rosto para recebermos em festa o nosso Salvador. O Senhor está contigo. O Senhor está connosco.
Maria, flor da humanidade e de toda a criação, é a criatura perfeitamente realizada que atraiu o olhar de Deus com a sua humilde beleza. Desde o princípio triunfa nela a harmonia com Deus e com os outros. Maria Imaculada é o ideal humano de justiça e santidade. Viver à sua imagem é procurar a sua beleza sem mancha, é superar egoísmos e tensões, é abrir o coração aos projectos de Deus. E porque é espelho de Deus, Maria projecta sobre nós a beleza de que Ele a revestiu.

Em Maria "santa e imaculada" Deus actuou o seu projecto de salvação para toda a humanidade. Como Ela, primícia e figura da Igreja, também nós somos chamados a ser “santos e imaculados”. O nosso Baptismo é de algum modo a nossa “Imaculada Conceição”. Também o é esse “novo Baptismo” que é o sacramento da Misericórdia. Com eles Deus nos renova e nos torna semelhantes a Maria. “Contemplámos, ó Deus, as maravilhas do teu amor”.

Com Maria Imaculada, vamos preparar o nosso Natal. Imitando a sua beleza interior, purificando de toda a mancha a nossa vida, acolhendo o projecto de Deus a nosso respeito, tal como Ela o acolheu, invocando a sua protecção sobre a humanidade desorientada.
Como Ela, também tu, quem quer que sejas, saíste do coração de Deus, ainda antes de saíres do ventre da tua mãe. Que Ela nos ajude na fidelidade a este projecto e na procura da sua beleza sem mancha. E que o perfume da sua beleza interior purifique o ar que respiramos e torne este mundo mais feliz.

Darci Vilarinho