Festa dos familiares dos missionários da Consolata abre jubileu do IMC em Portugal
11/06/2018
Fátima acolheu no sábado, 9 de junho, a festa anual dos familiares dos Missionários da Consolata (IMC) em Portugal. A deste ano ficou marcada pelo arranque das comemorações do Jubileu dos 75 anos de presença deste Instituto Missionário ad gentes em Portugal

Mais de duas centenas de missionários da Consolata (IMC), familiares e alguns amigos, congregaram-se este sábado, 9 de junho, em Fátima, para celebrar a festa anual dos familiares dos missionários, evento que este ano marcou também o inicio do Jubileu dos 75 anos de presença do IMC em Portugal.

A organização do evento quis dar o pontapé de saída de véspera (9 de junho) a este jubileu, uma vez que foi no dia 10 de junho de 1943 que o padre João De Marchi chegou a Portugal, com a incumbência de trazer o IMC para este país ibérico, cumprindo assim um pedido especial da Santa Sé que via esta nova presença missionária como um trampolim para a evangelização e missão nos países lusófonos, as então chamadas “colónias portuguesas”.

A primeira parte do evento decorreu no auditório do Centro Missionário Allamano (CMA). O padre Eugénio Butti, superior regional, deu as boas vindas aos presentes e explicou a importância deste jubileu para a região portuguesa do IMC.

Já o padre Aventino Oliveira, que integrou o primeiro grupo de seminaristas que entrou no primeiro seminário da Consolata inaugurado em Fátima a 3 de outubro de 1944, falou com entusiamo dos primeiros passos do padre João De Marchi, que definiu como um «homem entusiasmado pelas coisas de Deus e da missão, devoto de Maria, cheio de vitalidade, mas algo distraído», e dos primeiros anos da longa caminhada do IMC em Portugal.

Em seguida, o padre Eugénio apresentou a figura da irmã mártir Leonella Sgorbatti, recentemente beatificada (26 de maio) em Placência, na Itália, e passou a palavra à irmã  Felicita Muthoni, que falou dos aspetos mais relevantes da vida e obra desta missionária da Consolata que foi assassinada por radicais islâmicos em 2006, em Mogadíscio, na Somália.  

O evento prosseguiu com a projeção no telão do auditório de testemunhos, em texto e em vídeo, de alguns missionários da Consolata espalhados pelos quatro continentes onde o IMC se faz presente. E contou ainda com algumas palavras breves de dois missionários portugueses que estão de férias em Portugal: o padre José Neves (Moçambique) e o padre Joaquim Gonçalves (Brasil). Denominador comum no dizer de todos foi um agradecer a graça de fazerem parte desta caminhada missionária no IMC.   

Seguiu-se a Eucaristia, na capela do Seminário, presidida pelo padre Eugénio Butti, e concelebrada por muitos padres da Consolata vindos das oito comunidades do IMC em Portugal. Depois da missa, foi oferecido um almoço aos presentes.

As festividades do Jubileu dos 75 anos do IMC em Portugal prolongam-se até dia 3 de outubro de 2019.

Albino Brás