Liturgia do 7º domingo comum – Ano C
24/02/2019
Amar é uma arte

1 Sam 26, 7-23; 1 Cor 15, 45-49; Lc 6, 27-38

O Evangelho deste domingo propõe-nos a renúncia à vingança e à violência. Jesus manda que nós seus discípulos resistamos ao mal com o bem, rezemos por quem nos faz mal e amemos os nossos inimigos. No pensamento de Jesus o ódio não se pode destruir com o ódio, mas unicamente com o amor.

Penso em tantos mártires que souberam perdoar àqueles que os martirizavam. Penso neste momento naquela irmã missionária da Consolata martirizada em 2006 na Somália por um muçulmano. Antes de morrer conseguiu pronunciar por três vezes: “Perdoo, perdoo, perdoo”.   

São exemplos para nós cristãos que devemos amar a todos, mesmo que sejam nossos inimigos. “Não julgueis e não sereis julgados, não condeneis e não sereis condenados. Perdoai

E sereis perdoados. Dai e dar-se-vos-á. A medida que usardes com os outros será usada também convosco. Sede misericordiosos como o vosso Pai do Céu é misericordioso.”

São palavras sublimes que nos indicam o caminho a seguir para sermos bons discípulos de Jesus.

Há uma página de uma meditação de Chiara Lubich, fundadora do movimento dos Focolares, intitulada “A Arte de Amar“ que sempre me guiou na minha vida e que aqui transcrevo como comentário a este Evangelho: De facto  esta arte de amar brota do Evangelho. É necessário que o nosso amor seja “arte” e nos leve a dilatar o coração à medida do coração de Jesus, amando todos e cada um para além dos nossos vínculos familiares e das nossas amizades

1. AMAR A TODOS - O amor que Jesus quer é este: “Ama a todos sem excluir ninguém”. Exige que amemos a todos: o simpático e o antipático, o bonito e o feio, o rico e o pobre, o adulto e a criança, o jovem e o idoso... Amar a todos como o Pai do Céu que não faz distinção de pessoas, mas “faz nascer o sol sobre justos e injustos”.

2. SER O PRIMEIRO A AMAR - O amor que Jesus quer: “Sê o primeiro a amar, não esperes ser amado”. Como fez Jesus, o qual, quando ainda éramos pecadores, tomou a iniciativa de vir até nós e como prova de amor deu a sua vida por nós. Assim também devemos fazer nós: não esperar sermos amados pelo outro, mas darmos nós o primeiro passo. E para isso usar a criatividade, inventando sempre pequenos e novos gestos de amor ao próximo.

3. AMAR COMO A SI MESMO - O amor que Jesus quer: “Ama o próximo como a ti mesmo”. Cada próximo que encontramos durante o dia devemos tratá-lo como gostaríamos de ser tratados por ele. Saúdo o próximo porque gostaria de ser saudado por ele; dou um presente...; perdoo... O amor de Deus que Jesus, com o seu Espírito, derramou em nossos corações nos impulsiona a amar desinteressadamente, não esperando nada em troca.

4. FAZER-SE UM - O amor que Jesus quer: “É um amor que se faz um com o próximo”. Preenchamos o dia com serviços concretos, humildes, inteligentes. O amor não consiste em palavras e sentimentos, exige que “vivamos o outro”: se ele chora, choramos com ele; se ele ri, alegramo-nos com ele. Como o apóstolo Paulo: “Com os fracos me fiz fraco, para ganhar os fracos. Para todos, me fiz tudo...” .

5. AMAR JESUS NO IRMÃO - O amor que Jesus quer: “Vê e ama Jesus em cada pessoa”. O que fazemos aos outros de bem ou de mal, jesus considera-o como feito a si: “Todas as vezes que fizestes isso a um destes pequeninos, foi a mim que o fizestes”. Podemos amar jesus no próximo desde um bom dia ao professor, ao cobrador do autocarro, a quem nos faz um telefonema, aos colegas de estudos, de trabalho...

6. AMOR RECÍPROCO - O amor que Jesus quer: “Conduz-nos à reciprocidade”. Amar até que o amor se torne mútuo. Se a arte de amar for vivida por várias pessoas, na família, no trabalho, na faculdade..., então, se chegará ao amor recíproco, que é a pérola do Evangelho. O “Mandamento Novo” de Jesus realiza a unidade. O amor recíproco é o que caracteriza o cristão: “O que vos mando é que vos ameis uns aos outros”.

7. AMAR O INIMIGO - O amor que Jesus quer: “Ama até mesmo o inimigo”. Jesus disse: “Amai os vossos inimigos e fazei o bem aos que vos odeiam. Falai bem dos que falam mal de vós e rezai por aqueles que vos caluniam”. Jesus quer que vençamos o mal com o bem. Agindo deste modo, podemos superar as divisões, derrubar as barreiras e construir a comunidade”.

Darci Vilarinho