Liturgia do 6º Domingo da Páscoa – Ano C
26/05/2019
A força que habita em nós

Act 15, 1-2.22-29; Ap 21, 10-14.22-23; Jo 14, 23-29

1. “Não vos deixarei órfãos. Vou enviar-vos o Espírito Santo que vos ensinará tudo”. Jesus promete acompanhar de forma permanente a caminhada da sua comunidade em marcha pela história: não estamos sozinhos. Ele caminha sempre connosco. E para nos manter em comunhão com Ele, prometeu-nos Alguém que com a Sua sabedoria, ciência e fortaleza nos ensine a caminhar. É o Espírito Santo que continua a formar Cristo em nós, revelando-nos o seu mistério. É Ele quem reza nos nossos corações com as mesmas palavras e sentimentos de Jesus. É Ele a força que vence o mundo. É Ele quem assiste a Igreja na sua missão evangelizadora. É Ele o amor que circula no mundo. Quem ama, guarda as Palavras de Jesus. Quem ama é morada de Deus, é sacrário da Santíssima Trindade. Por isso “não se perturbe o vosso coração”. Um coração possuído de Deus vive na paz e na alegria. E é semente de paz e alegria entre os seus irmãos.

2. O Evangelho deste Domingo lança-nos para dentro de nós. A nossa força está dentro de nós: é aí que habita o Espírito de Deus, nossa fortaleza. A força de uma árvore não está naquilo que se vê: nas folhas, nos ramos ou no tronco. Está nas suas raízes, que não se veem. Quanto mais alta for a árvore, maiores e mais profundas serão as suas raízes. A força de uma pessoa está dentro dela.

Temos que viver assim e ensinar os nossos jovens a olhar mais para dentro de si mesmos. De que serve tornar-nos bonitos, bem parecidos, altos, fortes e bem diplomados, se depois não temos a força de estar de pé e de viver os valores que vêm de dentro? A sociedade preocupa-se com o exterior: mais belos, mais ricos, mais ecológicos, mais famosos. Pode ser uma ilusão que envenena a nossa vida.

3. A força de um homem não está em ter o mundo a seus pés e em sentir-se admirado e aclamado por todos.
Está na capacidade de resistir à dor da rejeição e do abandono.
Está na capacidade de enfrentar as contrariedades de cada dia.
Está na intensidade do seu olhar, na profundidade e amor do seu coração.
Está na capacidade de escutar o seu íntimo, de conhecer-se a si próprio, de viajar todos os dias por dentro da própria vida.
Está na intensidade dos seus sentimentos e no saber lutar contra a corrente.
Não está no poder, na arrogância ou no dinheiro, mas na capacidade de inclinar-se perante os outros e de lhes pedir perdão quando se erra.

4. A nossa força está em fazer emergir a Fortaleza divina que habita dentro de nós e que nos sustém a cada momento. «Quem Me ama guardará a minha palavra e meu Pai o amará; Nós viremos a ele e faremos nele a nossa morada”. Demasiado projetados no exterior, não nos apercebemos de que temos uma vida interior capaz de arrumar a nossa casa e dar solidez ao nosso caminho. Se pomos em prática a palavra de Deus, se fazemos o que lhe agrada, Ele faz de nós a sua casa, a sua morada permanente. "Quem permanece no amor, permanece em Deus e Deus nele". Um coração assim, possuído de Deus, vive na paz e na alegria. “Dou-vos paz, deixo-vos a minha paz”, promete-nos Jesus. Só corações destes constroem a paz à sua volta.
 
Darci Vilarinho