Liturgia do 3º Domingo da Páscoa – Ano B
15/04/2018
Também nós somos testemunhas

Act 3, 13-19; 1Jo 2, 1-5; Lc 24, 35-48

O trecho de São Lucas que a Liturgia nos apresenta neste 3º Domingo da Páscoa permite-nos, também a nós, reviver a experiência dos discípulos que, enquanto estão reunidos, se encontram com o seu Mestre, Jesus ressuscitado. É Ele mesmo que se coloca no meio deles e lhes oferece a sua “paz”, isto é, a plenitude de todos os dons de Deus. Dá-lhes a fé, que os leva pouco a pouco a reconhecê-lo na alegria, e abre-lhes os olhos e o coração para entenderem as Escrituras. Envia-os como suas “testemunhas” a todos os homens e mulheres da terra.

São Lucas sublinha a missão do testemunho e as condições que o tornam eficaz: conhecer as Escrituras, centradas em Jesus, e anunciar a experiência do Ressuscitado no seio da sua comunidade. É o anúncio pascal. Conhecer Jesus e fazer a experiência de uma conversão pessoal é fundamental para que o anúncio de Jesus tenha eficácia sobre os ouvintes. É interessante notar que todas as vezes que Jesus se encontra com os seus discípulos, também os “envia”. O tema fundamental da Palavra deste Domingo é a missão das testemunhas. O conteúdo da missão é “pregar a todos os povos a conversão e o perdão dos pecados”. É essa a finalidade do anúncio, feito com a boca e com a vida: provocar a conversão, que obtém o perdão de Deus e portanto a plena comunhão com Ele. A missão é essencialmente testemunho: “Vós sois testemunhas de todas estas coisas”. A testemunha faz-se garante daquilo que diz, com toda a sua experiência, com toda a sua vida pessoal.

Os destinatários deste anúncio são “todas as nações, começando por Jerusalém”. O livro dos Actos dos Apóstolos mostrará como gradualmente, de etapa em etapa, se realizou o programa missionário do Ressuscitado, enunciado neste texto e confiado aos Apóstolos antes da Ascensão. O mandato missionário constitui o conteúdo das últimas palavras de Jesus e define a tarefa e a consciência da Igreja missionária na história humana. A Igreja, e nela todo e qualquer cristão, existe para testemunhar a todos que Jesus ressuscitou e está vivo e operante no meio de nós. “Vós sois a testemunhas de todas estas coisas”. Quais são estas coisas? O evento da morte e ressurreição de Jesus e as “palavras que vos dizia enquanto estava ainda convosco”, quer dizer, tudo aquilo que Jesus realizou e ensinou.

Sendo assim, também nós somos testemunhas. A missão continua hoje na Igreja e em cada cristão. Cada um dos nossos gestos deveria transmitir um anúncio de Páscoa. Jesus revela-se em cada Palavra que escutamos, em cada Eucaristia que celebramos, em cada irmão que servimos. A missão continua através de cada um de nós. Precisamos todos de nos encher dos dons de Cristo para saborear as coisas de Deus e para as testemunhar pelo mundo inteiro. Que a Igreja seja sempre e cada vez mais Missão. Que o sejam as nossas palavras, os nossos gestos e toda a nossa vida.

Darci Vilarinho