Liturgia do 3º Domingo Comum – Ano B
21/01/2018
Vinde comigo

Jon 3, 1-5.10; 1Cor 7, 29-31; Mc 1, 14-20

São Marcos é, como sabemos, o evangelista litúrgico deste ano B. É fundamental meditá-lo e rezá-lo ao longo de todo o ano para melhor conhecer a figura de Jesus e deixar-nos apaixonar por Ele. Através das suas páginas poderemos aperceber-nos do clima novo que nascia à sua passagem entre os homens.

Cumpriu-se o tempo - Neste primeiro trecho aparece o convite que Jesus faz a todos os homens para se tornarem seus discípulos e para integrarem a sua comunidade. Marcos avisa, logo de início, que a entrada para a comunidade do Reino pressupõe um caminho de “conversão” e de adesão a Jesus e ao Evangelho: “Cumpriu-se o tempo e está próximo o Reino de Deus. Arrependei-vos e acreditai no Evangelho”. Nesta expressão “cumpriu-se o tempo”, a palavra grega utilizada por S. Marcos e que traduzimos por “tempo” (“kairós”) refere-se a um tempo bem distinto do tempo material (“chronos”), que é o tempo medido pelos relógios, o tempo cronológico. O sentido do texto seria este: “De acordo com o projeto de salvação que Deus tem para o mundo, chegou a altura determinada por Deus para o cumprimento das suas promessas”. Que “tempo” é esse que “se aproximou” dos homens e que está para começar? É o “tempo” do “Reino de Deus”. É o tempo determinado por Deus para a entrada de Cristo no mundo. Mas é também o tempo do leitor, que se embate em cada “tempo” com a figura e a Palavra de Jesus. É este tempo que estamos a viver. Não temos outro. Há que aproveitá-lo plenamente como um “kairós”, isto é, como uma ocasião única de salvação para nós. Isso exige uma mudança na nossa vida.

Acreditai no Evangelho” - Conversão e Evangelho vão unidos na mesma resposta à Palavra que gera vida nova. Converter-se significa mudar as ideias e a cabeça, mudar o coração e reorientar o nosso caminho. Crer no Evangelho é aderir à pessoa de Jesus e ir atrás dele para viver com Ele e como Ele. É ter pés para o seguir, ouvidos para o escutar, olhos para o ver, mãos para o tocar, coração para o amar. Hoje mesmo. Neste tempo que estou a viver, que é o meu tempo, porque não tenho outro. Em mim “cumpre-se o tempo”.

Vinde comigo” – O convite é dirigido a todos. Dos Apóstolos fez pescadores de homens. De nós fará instrumentos de salvação. Que fazer? Mudemos de vida e acreditemos em Jesus. Depois, convertidos, chamemos outros para a mesma família de Deus. Jesus não quer fazer tudo sozinho. Precisa ainda hoje de colaboradores, que livremente o ajudem na sua missão de anunciar aos homens o modo de viver do nosso Deus. Chamou-lhes amigos e pescadores de homens. É um convite que ainda hoje continua a lançar na praia do nosso mundo: vem e segue-me. Junta-te a mim, vive e proclama o que eu anuncio. Quem está disposto a segui-lo?
 
Darci Vilarinho