Liturgia do 3º Domingo de Advento – Ano C
16/12/2018
Dai e dar-se-vos-á

Sof 3, 14-18; Fil 4, 4-7; Lc 3, 10-18

João Batista, esse grande missionário da história, indica-nos neste 3º Domingo de Advento um caminho seguro para acolhermos Jesus como convém. Àqueles que lhe perguntavam: “Que devemos fazer?”, ele respondia simplesmente: “Quem tem duas túnicas dê uma a quem não tem; e quem tiver comida, faça o mesmo”. Jesus dirá a mesma coisa por outras palavras: “Dai e dar-se-vos-á: deitar-vos-ão no regaço uma boa medida, calcada, sacudida, a transbordar. A medida que usardes com os outros será usada também convosco”. Resumem-se a isto tantos convites de Jesus: dar de comer a quem tem fome, dar a quem pede, dar também a capa a quem nos pede a túnica, dar a quem precise de um empréstimo, dar gratuitamente... Às suas palavras seguiram-se os gestos, porque Ele foi o primeiro a dar: a saúde aos doentes, a alegria aos tristes, o perdão aos pecadores, a vida a todos nós. Obras de misericórdia.

O Evangelho não é uma utopia. - Milhões de pessoas o puseram em prática ao longo dos séculos e contribuíram para a renovação da sociedade. Queremos também nós seguir o mesmo caminho e experimentar aquilo que disse Jesus: “Há mais alegria em dar do que em receber”?. Como bem dizia o nosso bom Papa João Paulo II, aliás São João Paulo II: “Não se trata de um simples apelo moral, nem de um mandamento que chega ao homem de fora. A inclinação a dar está radicada no mais  profundo do coração humano: toda a pessoa sente o desejo de se pôr em contacto com os outros, e se realiza plenamente quando se dá livremente aos demais”. Conhecemos os grandes desníveis que caracterizam a humanidade. A minha solidariedade para com os outros pode contrariar o espírito do mundo que realça o acumular mais do que o dar aos outros desinteressadamente.

A cultura do dar - A cultura que Jesus inculca aos seus discípulos, propondo o seu próprio exemplo, passa pelo esforço de promover a justiça, defender os mais débeis e prestar ajuda a quem dela necessitar. Dar aos outros do que Deus nos deu, oferecer a própria vida em benefício dos mais necessitados marca a vocação de tantas pessoas, na consagração plena ou no voluntariado. Que este período natalício nos ajude a desenvolver esta cultura do dar contraposta à cultura do possuir ou do acumular. Oferecer aos outros os PRESENTES da amizade, da atenção, do nosso tempo… Dar um conselho, uma ajuda, uma palavra de consolação. Dar alegria, dar confiança, dar perdão, dar a vida. Quanto mais dermos, mais Deus nos dará.

Darci Vilarinho